segunda-feira, 22 de maio de 2017

RENAN: SE DELATOR FALASSE COMIGO DE PROPINA ‘MANDARIA PRENDÊ-LO’.


O presidente do Senado Renan Calheiros comanda sessão do segundo turno de votação, a PEC 55. A Proposta de Emenda à Constituição, chamada PEC do Teto, congela gastos federais pelos próximos 20 anos restringindo as despesas à inflação do ano anterior - 13/12-2016 (Evaristo Sá/AFP)

Um dos muitos políticos citados na delação premiada do grupo JBS, o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) não perdeu a oportunidade de mais uma vez se mostrar o aliado menos fiel do presidente Michel Temer (PMDB). Em nota enviada à imprensa, ele afirmou que, se Ricardo Saud “ou qualquer outro delator” lhe relatasse pagamentos de propina ou caixa 2, ele “mandaria prendê-lo”.

Ao falar sobre isso, o senador toca em um dos pontos mais sensíveis da crise política: o fato de uma gravação entregue por Joesley Batista à Procuradoria-Geral da República (PGR) mostrar o empresário relatar pagamentos de propina ao presidente, sem que este tenha reagido negativamente ou sequer informado às autoridades competentes. Michel Temer nega e justifica que apenas ouviu as “lamúrias” de um “fanfarrão” e que não acreditou que o empresário pudesse estar dizendo a verdade, ao explicar o porquê não o denunciou.

Por Guilherme Venaglia

Fonte: Veja.com

0 comentários:

Postar um comentário