sábado, 5 de agosto de 2017

PAI DE NEYMAR DIZ QUE APOIAVA BARCELONA ATÉ CLUBE DECIDIR NÃO PAGAR BÔNUS.

   Foto: Getty Images/AFP

O Barcelona tinha um aliado durante a negociação com Neymar para que ele não fosse para o Paris Saint-Germain. De acordo com Neymar da Silva Santos, pai do jogador, ele tentava convencer o filho a permanecer no clube catalão, mas mudou de ideia por conta de uma decisão dos dirigentes: não pagar o bônus pela renovação de contrato do ano passado.

O prazo para o pagamento do bônus era o dia 31 de julho. Porém, como Neymar negociava com o PSG, o Barça decidiu depositar o valor em juízo à espera da definição. Na manhã desta sexta-feira, o clube avisou que não pagará os 26 milhões de euros (R$ 96 milhões), já que o jogador se transferiu para o Paris Saint-Germain.

- Se (o Barcelona) não nos paga, não posso fazer nada. Agora, não podia me submeter a uma chantagem, você fica, você continua. Neste momento, o Barcelona perdeu meu apoio quando fez isso. Até aquele momento, eu estava do lado do Barcelona tentando convencer Neymar a ficar. Mas, com a atitude da diretoria, não podia me colocar a seu lado por que o contrato está bem explícito e bem claro, e em nenhum momento se planejou ampliar essa cláusula. É uma cláusula de assinatura de contrato, por isso a cláusula do jogador aumentou. É um assunto para discutir no futuro, não agora. O Barcelona tem que fazer o que acredita, mas sei o que falamos e posso olhar nos olhos de cada um, do que se disse e o que não se disse, sei o que fizemos. Agora, se as pessoas não respeitam o que falam, eu também não vou respeitar o que escrevem - afirmou o pai de Neymar à rádio Cope.

Apesar de ter dito que tentou convencer o filho a ficar no Barcelona, Neymar da Silva Santos afirmou que a decisão sobre seu futuro foi do jogador.

- Foi uma dele. Está no lugar que sonhava. Estava cômodo, em uma zona de conforto, tranquilo. Escutou o conselho de seus amigos. Escutou as pessoas que o rodeavam, queria encarar este desafio. E agora segue seu destino. Acho que teve muita coragem, tinha o direito de fazer essa escolha. Esperamos o momento certo, que nó pesávamos que ia ser o correto, com tempo suficiente para ter exatamente a tranquilidade de escolher. Tivemos esse tempo e, quando voltou da China, ele tomou a decisão. Nós comunicamos ao clube sua saída e exigimos ao Paris a cláusula para que a operação pudesse acontecer – disse Neymar da Silva Santos, que completou:

- Foi uma escolha difícil. Você, como pai, se coloca em seu lugar quando um filho faz uma escolha. O que faz? Falo para ele que fique? E amanhã vai me jogar na cara e falar: você não deixou fazer. Ainda que também seja responsabilidade minha. Ele joga futebol e eu administro sua carreira.


Fonte: Globo Esporte.com/paris

0 comentários:

Postar um comentário